Benefícios do chocolate meio amargo para a saúde

Para os chocólatras de plantão segue abaixo reportagem sobre os benefícios dessa delícia.

Não é novidade que o chocolate perdeu o título de vilão da alimentação, pesquisas que comprovam os benefícios do alimento não faltam.  De acordo com alguns desses estudos, o doce ajuda no processo de emagrecimento, ao contrário do que se imaginava, e até retardar o envelhecimento da pele.

Mas é claro que as vantagens do chocolate não significam que você pode abusar do consumo sem se preocupar com a saúde ou a balança. Existem quantidades certas a serem ingeridas diariamente, além de que, dependendo do tipo do alimento, ele trará menos benefícios para o organismo.

Isso porque o chocolate faz bem graças à presença de sua principal matéria-prima: o cacau. Assim, quanto maior a concentração do ingrediente e menor a adição de açúcares e gordura, melhor será para o corpo. Não é à toa que as versões amargas do alimento são as preferidas dos especialistas: por ter uma concentração de pelo menos 50% de cacau, ele pode agregar muitos benefícios.

A nutricionista Dayse Menezes cita, entre as vantagens do alimento para a saúde, a prevenção de doenças cardiovasculares e de alguns tipos de câncer, diminuição da pressão arterial, combate a inflamações e auxílio na resposta imune. Segundo ela, isso é possível porque o chocolate amargo tem alto teor de cacau e, consequentemente, vitaminas (A, E, B1, B2, B3, B6 e B12), ácido fólico e minerais essenciais, como magnésio, cobre, potássio, zinco, cálcio e manganês. Ela destaca ainda a presença dos antioxidantes conhecidos como flavonoides.

A vantagem é que, no mercado, já é possível encontrar mais versões amargas para agradar ao paladar. Há, por exemplo, opções 70% cacau ou com concentração de 50% do ingrediente em sua composição. A nutricionista explica que os dois tipos são indicados. “Porém, quanto mais cacau tiver no chocolate, maiores serão as concentrações de componentes benéficos à saúde”, ressalta. Assim, a versão 70% representa uma escolha melhor para o organismo.

Mesmo escolhendo o chocolate certo, vale a ressalva de que o consumo não pode ser excessivo. Segundo Dayse, a quantidade indicada para ingestão varia muito entre os indivíduos, pois é necessário avaliar a alimentação e o estilo de vida de cada um, assim como a existência de doenças. “Mas, geralmente, o indicado é uma média de 20 a 100 gramas por dia”, finaliza.

O consumo acima dessas quantidades não é recomendado. “Vale a pena lembrar que o excesso de qualquer alimento, por mais benéfico que seja, traz danos à saúde. O segredo é consumir com moderação”, alerta a nutricionista. De acordo com ela, como o chocolate tem alto teor de gordura e açúcares, quando consumido em excesso por um longo período, ele pode gerar ganho de peso, aumento da ansiedade, desconfortos gastrointestinais, enxaquecas, insônia e agitação devido ao excesso de cafeína presente no doce.

Assim, aposte na moderação para poder desfrutar dos benefícios listados abaixo sem se preocupar com prejuízos à saúde (e à balança).

Chocolate emagrece?

Segundo pesquisa, ele emagrece sim. Mas antes de correr para a barra de chocolate, vale a ressalva dos especialistas: o benefício só se torna realidade se o alimento for consumido com moderação e na versão amarga.

A descoberta foi da Universidade da Califórnia, que constatou que as pessoas que comem o doce com mais frequência costumam ser mais magras. Para comprovar a tese, os especialistas analisaram o consumo de calorias e o índice de massa corporal de mil participantes.

Segundo a autora do estudo, Beatrice Golomb, o segredo está em considerar a composição das calorias consumidas e não apenas a quantidade delas. Além disso, os benefícios do alimento para a silhueta viriam da presença de componentes que favorecem a perda de peso, como as catequinas, antioxidantes que contribuem para a formação de massa magra, que consome mais energia para sobreviver. Assim, o corpo gasta mais calorias e se mantém magro.

A nutricionista Dayse ressalta, no entanto, a necessidade de aliar os benefícios descritos pelas pesquisas a uma alimentação saudável para promover o emagrecimento real. “Eu particularmente não trabalho com a proibição do chocolate, pois acredito que, independente do objetivo do paciente, proibir alimentos é o pior caminho. Se não for consumido em excesso, ele não vai interferir no processo de emagrecimento, desde que seu consumo seja associado a uma reeducação alimentar e, consequentemente, a bons hábitos”, explica ela.

Afaste os sinais do envelhecimento

Não é de hoje que os especialistas chamam a atenção para o poder antioxidante de um dos componentes mais numerosos no cacau: os flavonoides. Eles estão na massa do cacau e pesquisas já alertam para os seus benefícios, como a ativação da produção de óxido nítrico no organismo, que faz com que os vasos sanguíneos relaxem e a pressão arterial diminua. Assim, com menos stress, a aparência agradece.

Além disso, os flavonoides também protegem a pele contra os raios UV do sol, mantendo a face longe do envelhecimento.

Mantenha o bom humor com chocolate

Ninguém duvida que um delicioso pedaço de chocolate seja capaz de afastar a tristeza, nem que seja só por um tempo. E, na versão amarga, esses benefícios se intensificam.

A nutricionista Dayse explica que nele é possível encontrar neuromoduladores que atuam na produção de serotonina, que é sintetizada pela presença dos carboidratos e triptofano no chocolate. “A serotonina é responsável pela regulação do humor, gerando uma sensação de bem-estar, e ajuda na produção da capacidade relaxante”, explica. Além disso, ela modera a compulsão alimentar e a ansiedade, sintomas comuns nos períodos em que as pessoas estão passando por uma reeducação alimentar.

Fonte: Thinkstock

Assim, não é à toa que o chocolate amargo faz parte da lista de Alimentos Terapêuticos, publicada em livro por Paula Bartimeus. Segundo estudos recentes, ele possui um composto que atua como antidepressivo natural, além de fazer bem para o coração e prevenir doenças como o câncer.

Além disso, o alimento também possui feniletalamina, que age como um antidepressivo natural, e teobromina, substância conhecida por ser estimulante. Porém, vale ressaltar que o consumo deve ser moderado e regular.

Chocolate é amigo da memória

Fonte: Thinkstock

E os benefícios do cacau continuam, estudos comprovaram que ele é mais um aliado para a memória. Segundo os especialistas, o chocolate amargo, que é rico no ingrediente, possui altas concentrações de uma substância chamada de epicatequina, que pode estimular a memória.

Para aproveitar as vantagens do composto, é preciso aliar o consumo do alimento com exercícios físicos. Assim, ganha não apenas a memória, mas também o corpo, por meio do bem-estar e da manutenção da boa forma.

Adeus à fadiga

Pesquisadores britânicos encontraram no chocolate amargo a solução para quem sofre de Síndrome de Fadiga Crônica. A doença se manifesta por uma profunda fadiga muscular após a prática de exercícios físicos, com sintomas como memória fraca, dificuldade para se concentrar, dor de cabeça, problemas no sono e irritação constante.

Benefícios do cacau para o colesterol

Aquelas que tiraram o chocolate amargo da dieta já têm motivos de sobra para colocá-lo novamente no cardápio, não apenas por uma questão estética, mas também de saúde. A nutricionista Dayse lembra a existência de estudos que indicam que o consumo do cacau aumenta a concentração do colesterol HDL (colesterol “bom”) e diminui a concentração do LDL (colesterol ruim) nos vasos sanguíneos.

“Isso acontece devido ao fato de o cacau exercer um fator de proteção aos vasos sanguíneos. Portanto, de certa forma, podemos dizer que o chocolate amargo com altas concentrações do composto traz sim benefícios em relação ao colesterol”, afirma ela.

Pesquisas recentes comprovam a afirmação da nutricionista, revelando que o cacau contém componentes antioxidantes chamados de bioflavonoides, que impedem a oxidação do LDL e, consequentemente, que ele se acumule nas artérias, levando ao entupimento desses vasos.

Fonte: Thinkstock

Solução para a pressão arterial

A CNN divulgou em 2006 um estudo que já indicava o consumo do alimento como forma de reduzir a pressão arterial. A pesquisa foi publicada pela Associação Americana do Coração e conduzida pelo professor Jeffrey Blumberg, da Universidade Tufts (Estados Unidos).

Segundo ela, os flavonoides do chocolate também contribuem para que as veias trabalhem melhor, diminuindo o risco do surgimento de doenças cardiovasculares. Para chegar a essa conclusão, 10 homens e 10 mulheres com problemas de pressão alta foram submetidos a uma alimentação diferenciada durante 15 dias. Metade do grupo consumiu chocolate amargo, enquanto os demais ingeriram a versão branca do doce, que não possui flavonoides.

Ao fim do estudo, os hipertensos tiveram redução na pressão sanguínea ao comer o chocolate amargo, enquanto o chocolate branco não trouxe alterações para esses índices. O alimento também influenciou positivamente outros aspectos, como a insulina e o colesterol ruim.

Chocolate: amigo do coração

Os benefícios do consumo moderado de chocolate amargo para o coração também já foram comprovados há tempos.

Segundo os pesquisadores, as mulheres que ingerem chocolate com alta concentração de cacau de uma a três vezes por mês ficam mais protegidas ao surgimento de doenças cardiovasculares.

Agora que já conhecemos os benefícios do chocolate meio amargo, que tal um pedaço?

Fonte: http://todaela.uol.com.br

Leave A Response